sexta-feira, agosto 24, 2007

Esclerose Múltipla


A ESCLEROSE MÚLTIPLA é a doença neurológica mais comum no Hemisfério Norte. A sua patologia consiste na destruição parcial das bainhas de mielina em redor do cordão espinhal, cérebro e nervos ópticos. As lesões são disseminadas em intervalos e a grande variedade de sintomas depende das suas localizações. Pelo facto das lesões poderem ser parcialmente cicatrizadas, esta doença apresenta fases características de remissão e recaída.
Normalmente, nos indivíduos jovens, o primeiro sintoma presente é a neurite retrobulbar, causando visão borrada; nos idosos, o sintoma inicial é a fraqueza de uma perna.


Como mencionado anteriormente, esta doença caracteriza-se por vários e diferentes sintomas, de acordo com a localização das lesões na bainha de mielina. Esses sintomas incluem: visão borrada, fraqueza e peso numa ou nas duas pernas; contractura muscular nas pernas, visão dupla, vertigem, vómito, falta de coordenação, uma sensação nos braços e nas pernas como se sofresse um choque eléctrico, adormecimento ou formigamento dos membros, micção urgente ou hesitante, impotência. Com a degeneração progressiva da bainha de mielina, há um aumento na falta de coordenação e na fraqueza das pernas e dos braços. Nos estágios avançados há completa paralisia, geralmente de tipo espástica, associada a incontinência urinária e flagrante distúrbio cerebelar com marcha atáxica.
Na Medicina Chinesa, a esclerose múltipla é um tipo de Síndrome Atrófica.

ETIOLOGIA E PATOLOGIA

1. INVASÃO DE HUMIDADE EXTERNA


A invasão de Humidade externa é uma causa importante da doença nos estágios iniciais. A Humidade externa invade primeiramente os Meridianos das pernas, deslocando-se gradativamente para cima. Essa invasão é contraída ao morar-se em locais húmidos, ao sentar-se em relva húmida, permanecendo com os pés molhados por longo período de tempo, exposição a clima húmido vestindo roupas insuficientes, etc. As mulheres são particularmente propensas à invasão de Humidade durante os ciclos menstruais e após o parto.
A Humidade obstrui os meridianos e causa uma sensação de peso nas pernas, adormecimento e formigamento.

2. ALIMENTAÇÃO


O consumo excessivo de frituras, alimentos gordurosos e frios prejudica o Baço/Pâncreas, gerando a formação de Humidade. O consumo de lacticínios, tais como o leite, o queijo, a manteiga e a nata, é a causa mais comum de Humidade nos países Ocidentais.

3. ACTIVIDADE SEXUAL EXCESSIVA


O excesso de actividade sexual enfraquece os Rins e o Fígado e é particularmente responsável pelas manifestações de esclerose múltipla nos estágios intermédios e avançados, tais como tontura, visão borrada, micção urgente ou hesitante e fraqueza extrema das pernas.

4. CHOQUE


O choque causa um esgotamento repentino do Qi do Coração e do Baço/Pâncreas. Como o Baço/Pâncreas influencia os músculos, esse esgotamento prova os músculos de nutrição; o Coração controla a circulação de sangue, de tal forma que esse esgotamento gera pouca circulação de Qi e sangue nos membros. Esses dois factores podem causar fraqueza das pernas, tontura e vertigem.

Na maioria dos casos os sintomas nos estágios iniciais reflectem uma invasão de Humidade (sensação de peso, adormecimento e formigamento dos membros). Nos estágios intermédios da doença há uma Deficiência progressiva do Fígado e dos Rins, com sintomas tais como tontura, vertigem, visão borrada, fraqueza progressiva das pernas e micção hesitante ou urgente. Se o Yang do Fígado se desenvolver, há rigidez das pernas e sintomas mais severos de vertigem e vómito. Nos estágios avançados, com o desenvolvimento do Vento do Fígado, há tremor e espasmos severos das pernas.

DIFERENCIAÇÃO E TRATAMENTO


A Acupunctura é o tratamento de escolha na esclerose múltipla.
Existem 2 padrões básicos principais:


Humidade/Mucosidade com deficiência do Baço/Pâncreas
Deficiência do Fígado e do Rim.


HUMIDADE-MUCOSIDADE COM DEFICIÊNCIA DO BAÇO-PÂNCREAS


MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS


Adormecimento, sensação de peso nas pernas, formigamento, tontura, fadiga.
Língua: inchada com marcas dentais, com revestimento pegajoso.
Pulso: fraco e escorregadio.

PRINCÍPIO DE TRATAMENTO


Eliminar a Humidade, toificar o Baço/Pâncreas e fortalecer os Meridianos de Conexão.

DEFICIÊNCIA DO FÍGADO E DOS RINS


MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS


Fraqueza progressiva das pernas, costas e joelhos fracos, tontura, memória fraca, visão borrada, micção hesitante ou urgente.

PRINCÍPIO DE TRATAMENTO


Tonificar os Rins e o Fígado e fortalecer os ossos e tendões.

Além dos pontos de Acupunctura principais a utilizar no tratamento, devem usar-se pontos locais nos membros para remover obstrução dos Meridianos. Além disso, é importante utilizar pontos sobre o Vaso Governador e os pontos Huatuojiaji, pois as lesões da bainha da mielina localizam-se em redor da espinha.


Nos estágios avançados de esclerose múltipla há também estase de sangue, o que é extremamente penoso para o paciente, pois para além da paraplegia e dos espasmos, há também dor nos membros. Nesses casos, devem-se utilizar pontos que promovam a movimentação do Sangue.


Os Vasos Extraordinários são muitas vezes eficazes no tratamento da esclerose múltipla. Como o Vaso Dai Mai circunda os Meridianos da perna, uma disfunção nesse Vaso pode prejudicar a circulação de Qi e Sangue nos Meridianos da perna. Esse Vaso é frequentemente afectado pela Humidade e o paciente pode sentir como se estivesse setado na água (os indivíduos que sofrem de esclerose múltipla apresentam algumas vezes essa sensação).
O Vaso Governador é muito importante no tratamento da esclerose múltipla, pois fortalece os Rins e a espinha.

Finalmente, a Craneo-Acupunctura é muito eficaz no tratamento da esclerose múltipla.


PROGNÓSTICO


A Medicina Chinesa pode oferecer uma ajuda considerável no alívio dos sintomas e no retardo do progresso da doença. A Acupunctura auxilia consideravelmente na eliminação da sensação de peso e formigamento dos membros, facilitando o andar.


Quanto mais cedo o tratamento se iniciar, melhor serão os resultados. Se o paciente ainda estiver a andar, podem-se esperar resultados muito positivos; entretanto, se estiver permanentemente numa cadeira de rodas, os resultados poderão ser mais limitados. Se o tratamento começar na fase bem inicial da doença, os sintomas podem ser eliminados e a progressão da doença ser detida, desde que o paciente coopere na mudança de estilo de vida, passando a fazer mais repouso, ajustando a alimentação e reduzindo a actividade sexual.


Inicialmente, o tratamento deverá ser feito de duas a três vezes por semana. Decorridas algumas semanas, poderá ser mais espaçado.


Fonte: Maciocia